UM MAIOR RISCO PARA CÂNCER DE TIREÓIDE AGRESSIVO ESTÁ ASSOCIADO À OBESIDADE POR SEREM DE MAIS DIFÍCIL DIAGNÓSTICO E UM FATOR QUE INTERFERE BASTANTE É O PESCOÇO MAIOR

Os pacientes que são obesos tendem a apresentar formas mais agressivas de câncer papilar de tireóide. Além disso, o câncer é frequentemente diagnosticado em um estágio mais avançado nesta população, de acordo com um estudo retrospectivo. O estudo, publicado no Archives of Surgery, descobriu que pacientes obesos e obesos mórbidos se apresentaram mais frequentemente com o estágio III ou IV da doença.

 

Uma análise de subgrupo mostrou que a porcentagem da variante mais agressiva de câncer papilar de tireóide foi significativamente maior em pacientes obesos e obesos mórbidos do que naqueles que tinham peso normal ou apenas excesso de peso. Um índice de massa corporal (IMC) foi associado com um maior tempo da indução da anestesia e uma longa estadia no hospital. Os resultados deste estudo são muito interessantes, disse Avital Harari, MD, professor assistente de cirurgia da Universidade da Califórnia, Los Angeles, David Geffen School of Medicine. “Acredito que a razão para o aumento do câncer de tireóide em estágio avançado e mais agressivo em indivíduos obesos é de duas vezes mais”, disse a Medscape Medical News.

 

“Uma razão é que os pacientes obesos geralmente têm um atraso no diagnóstico em relação à maioria das doenças. No caso de câncer de tireóide, é provável que o câncer e nódulos não são sentidos no exame físico por causa do tamanho maior do pescoço. “É também provável que o estado de obesidade em si, fisiologicamente, contribui para um aumento de cânceres agressivos, Dr. Harari adicionou. Médicos de cuidados primários, endocrinologistas e cirurgiões da tireóide “devem ser vigilantes sobre a avaliação de seus pacientes obesos para câncer de tireóide.

 

É importante estar ciente do risco aumentado para essas pessoas, não só para os cânceres da tireóide, mas para todos os outros tipos de câncer também”, Dr. Harari observou. Para o câncer de tireóide, não há atualmente nenhuma recomendação para a seleção, ressaltou. “Nossos dados sugerem que deve haver rastreio do câncer da tireóide para aqueles com maior risco, como pacientes obesos. Nossa recomendação é reflexo de uma proposta semelhante para o rastreio do câncer da mama, onde os estudos têm sugerido que um regime de triagem mais vigilante de mamografia deve ser instituído para pacientes obesos.

 

“Com base em seus dados, Dr. Harari e seus colegas sugerem que em pacientes obesos com mais de 45 anos deve-se rastrear por  ultrassonografia o câncer de tireóide. O motivo para isso é que, embora a maioria dos cânceres da tireóide são tratáveis, as pessoas que se apresentam nos estágios finais têm um aumento real na mortalidade.”Se o câncer pode ser detectado precocemente, o pressuposto é que a mortalidade pode ser diminuída”

 
12